Energisa anuncia principais obras em Mato Grosso até 2017; duplicação do Linhão até Nova Xavantina será uma das obras

A Cemat – agora sob o comando do Grupo Energisa – vai investir R$ 1,447 bilhão no sistema elétrico de Mato Grosso nos próximos quatro anos. O valor significa um incremento de 73,4% na média anual de investimentos da empresa desde 2010. Essa média vai saltar de R$ 208,7 milhões para R$ 362 milhões anuais.
A distribuidora mato-grossense ficará com a maior parcela dos investimentos previstos pelo grupo nas oito empresas recém-adquiridas. O diretor presidente da empresa, Wilson Couto, explica que o montante será distribuído de acordo com as necessidades atuais e com as projeções para o crescimento do mercado consumidor em cada região do Estado.
O valor inclui a construção de pelo menos nove subestações novas, bem como a ampliação ou melhoria de outras 34. Serão construídos quase 900 quilômetros de linhas de alta tensão – além de investimentos pesados na extensão, melhoria e manutenção das redes de distribuição. Os investimentos também incluem a automação de subestações e linhas, que passam a ser comandadas de forma remota – tornando o atendimento muito mais ágil em caso de falta de energia. Segundo Couto, além da construção de novas instalações, será dada atenção especial à manutenção das estruturas existentes, sempre com foco em aumentar a confiabilidade e a qualidade da energia distribuída.
Os municípios da região de Cuiabá receberão investimentos de R$ 429,1 milhões. Estão previstas a construção de três subestações, sendo duas em Cuiabá (Beira Rio e Ribeirão do Lipa) e a terceira no município de Jangada. Diversas outras subestações terão a capacidade ampliada ou serão automatizadas, de forma a proporcionar maior confiabilidade ao fornecimento de energia para a região. A capital e municípios próximos também receberão novas linhas de alta tensão, obras de extensão na rede de distribuição e aquisição de equipamentos como transformadores e bancos de capacitores.
Para os municípios da região Sul do Estado, estão previstos investimento de R$ 240,1 milhões – que incluem a construção de uma subestação em Alto Taquari, ampliação da capacidade de diversas outras subestações e a construção de uma linha de alta tensão (138 KV) com 75 quilômetros de extensão, ligando a subestação de Alto Taquari à da Ferronorte, em Rondonópolis.
Já a região do Araguaia receberá obras importantes para o atendimento ao mercado crescente, como a duplicação de 175 km de linha de alta tensão em 138 KV, ligando Barra do Garças a Nova Xavantina. Os investimentos na ampliação de diversas subestações, construção de linhas e outras melhorias na região chegam a R$ 187,1 milhões – e deverão atender à demanda da região enquanto um novo ponto de suprimento é licitado pelo Governo Federal.
Para a região Norte, os investimentos serão de R$ 328 milhões – o que inclui a construção de cinco novas subestações (Ipiranga do Norte, Tapurah, Nova Uniratã, Sorriso e Sinop) e de 350 km de linhas de alta tensão (138 KV), para o atendimento ao mercado e melhoria da qualidade da energia fornecida à população de várias cidades.
No Médio Norte, investimentos de R$ 171 milhões permitirão a ampliação da capacidade de subestações em diversos municípios - como Tangará da Serra, Nova Olímpia, Sapezal, Nobres e Barra do Bugres -, permitindo que o mercado consumidor de energia na região possa crescer e garantindo confiabilidade ao sistema.
O Oeste do Estado vai receber a ampliação de subestações em Cáceres, Pontes e Lacerda e Araputanga, além da construção de uma linha de 34,5 KV com 80 km de extensão, ligando São José dos Quatro Marcos, Rio Branco e Lambari d’Oeste. Serão investidos R$ 91,3 milhões na região, que receberá obras de extensão de redes, automação de subestações e linhas, adequação de circuitos para redução de perdas e aquisição de equipamentos.
Investimentos Cemat | 2014 a 2017
Cuiabá e região (Regional Metropolitana)
R$ 429.133.360,66
Sul (Regional Rondonópolis)
R$ 240.997.927,95
Norte (Regional Sinop)
R$ 328.006.540,87
Araguaia (Regional Barra do Garças)
R$ 187.163.112,54
Médio Norte (Regional Tangará da Serra)
R$ 171.197.789,40
Oeste (Regional Cáceres)
R$ 91.366.130,26
Total
R$ 1.447.864.861,68

Sobre o Grupo Energisa 
Com 109 anos de história, o Grupo Energisa é um dos maiores do Brasil em distribuição de energia elétrica. Uma das primeiras a abrir capital no Brasil, a companhia controla 13 distribuidoras emMinas Gerais (Energisa Minas Gerais e Bragantina), Paraíba (Energisa Paraíba e Energisa Borborema), Rio de Janeiro (Energisa Nova Friburgo), Sergipe (Energisa Sergipe), Mato Grosso (Cemat), Mato Grosso do Sul (Enersul), Tocantins (Celtins), São Paulo (Caiuá, Vale Paranapanema e Nacional) e Paraná (Força e Luz do Oeste).
São aproximadamente 6 milhões de clientes e uma população atendida de 15 milhões de pessoas, em 788 municípios de todas as regiões do Brasil. Com receita líquida anual de R$ 8,9 bilhões, o grupo gera cerca de 10 mil empregos diretos.
Com a missão de transformar energia em conforto, desenvolvimento e oportunidades de forma sustentável, responsável e ética, a Energisa atua com um diversificado portfólio que engloba distribuição, geração (Energisa Geração) – com foco em energias limpas e renováveis, entre eólicas, biomassa e PCHs (Pequenas Centrais Hidrelétricas) -, serviços para o setor elétrico (Energisa Soluções) e comercialização de energia (Energisa Comercializadora).
A Cemat atende a 1,2 milhões de clientes nos 141 municípios do Estado de Mato Grosso. São mais de 1900 colaboradores diretos.


Escrito por assessoria 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Divulgado gabarito da prova do Ensino Médio Integrado do IFMT

Discussão leva à tentativa de homicídio em Canabrava do Norte com um tiro na boca

Candidatos têm até dia 15 de agosto para se inscrever no concurso da Seduc