TAPIRAPE FM

quinta-feira, 31 de maio de 2012

Jovem é estuprada, morta e pendurada em alambrado de estádio de futebol


Mistério. Uma cena macabra. Mais uma mulher é morta com requintes de crueldade. A vítima, antes de ser estrangulada com um peçado de pano  foi estuprada, possivelmente por mais de uma pessoa. Foi a 15ª mulher assassinada este ano apenas na Grande Cuiabá. Aliás, outra mulher usuária de drogas foi executada neste final de semana que registrou ainda outros três assassinatos: cinco no total.
A jovem Juliane Gonçalves Anunciação, de 22 anos, foi encontrada morta por enforcamento na manhã desta segunda-feira (28). O corpo dele estava pendurado em uma peça de roupa amarrada no alambrado do campo do Botafogo, na Morada da Serra (PCA-2), em Cuiabá.
Delegados, investigadores da Delegacia de Homicídio e Proteção a Pessoa (DHPP), estão mobilizados em investigações, buscas e diligências em conjunto com a  Polícia Militar na tentativa de levantar pistas dos autores do assassinato de Juliene.
A morte da jovem intriga a Polícia por vários motivos. Um deles foi o local onde ela foi encontrada, uma espécie de simulação de suicídio, descartado imediatamente pela Polícia. Julie foi assassinada depois de sofrer abusos sexuais.

José Ribamar Trindade

Vacinação contra aftosa termina hoje em Mato Grosso


A primeira etapa de vacinação do rebanho bovino e bubalino, com até dois anos, está programada para encerrar nesta quinta-feira (31). A partir de sexta (1º), os pecuaristas de Mato Grosso deverão fazer a comunicação das doses aplicadas ao Instituto de Defesa Agropecuária do Estado (Indea).

As imunizações devem ser comunicadas até dia 11 de junho. Aqueles que não cumprirem o prazo pagarão multa de 2,25 UPFs - Unidades de Padrão Fiscal -, equivalente a R$ 104,10 por animal não vacinado, além da aplicação da dose ocorrer de forma assistida por fiscais do instituto.

Nesta fase, a estimativa é atingir 12,5 milhões de cabeças. Já a última etapa da campanha será em novembro, envolvendo os animais de todas as idades. O Estado tem atualmente cerca de 29 milhões de cabeças e está há pelo menos 16 anos sem registrar a presença da doença.

Só Notícias/Karoline Kuhn

Exigir cheque caução para atendimento médico de urgência agora é crime


O Diário Oficial da União publica no dia (29) a lei que torna crime a exigência de cheque caução para atendimento médico de urgência. A lei, de autoria dos ministérios da Saúde e da Justiça, altera o Código Penal de 1940 e tipifica a exigência como crime de omissão de socorro.

Atualmente, a prática de exigir cheque caução já é enquadrada como omissão de socorro ou negligência, mas não existia uma referência expressa sobre o não atendimento emergencial.

O Código Penal passa a vigorar nos termos do Artigo135-A acrescido ao Decreto-Lei no 2.848, de 7 de dezembro de 1940 - Código Penal, que estipula pena de detenção de três meses a um ano e multa para os responsáveis pela prática de exigir cheque caução, nota promissória ou qualquer garantia, inclusive o preenchimento prévio de formulários administrativos, como condição para o atendimento médico-hospitalar emergencial. A pena pode ser aumentada até o dobro, se da negativa de atendimento resultar lesão corporal de natureza grave, e até o triplo se resultar morte

Os hospitais particulares ficam obrigados a afixar, em local visível, cartaz ou equivalente, com a seguinte informação: ”Constitui crime a exigência de cheque caução, de nota promissória ou de qualquer garantia, bem como do preenchimento prévio de formulários administrativos, como condição para o atendimento médico-hospitalar emergencial, nos termos do Artigo 135-A do Decreto-Lei no 2.848, de 7 de dezembro de 1940 - Código Penal.”

O Poder Executivo regulamentará o disposto nesta lei, que entra em vigor hoje. A proposta foi apresentada pelo governo federal um mês após a morte do secretário de Recursos Humanos do Ministério do Planejamento, Duvanier Paiva Ferreira, 56 anos, vítima, em janeiro passado, de um infarto depois de ter procurado atendimento em dois hospitais privados de Brasília. Segundo a família, as instituições teriam exigido cheque caução.

Agência Brasil

PF prende seis e apreende 44 carros ”Finan” no Vale do Araguaia


Seis pessoas foram presas e 44 veículos apreendidos pela operação “Finan Dublê”, deflagrada pela Polícia Civil com o apoio da Polícia Rodoviária Federal (PRF), na cidade de Novo São Joaquim, a 485 quilômetros a leste da Capital.

A operação foi realizada no último final de semana com a finalidade de tirar de circulação veículos “Finan” (carros financiados e revendidos sem o pagamento das prestações) e dublês (roubados que são adulterados com placas do mesmo modelo e documentação falsa de um veículo já existente).

Foram dois dias de operação com a abordagem de 500 veículos, 176 checados e 44 veículos apreendidos, sendo 32 motocicletas e 12 carros. Houve ainda a apreensão de sete armas de fogo, nove armas brancas e uma grande quantia de munições. Para a realização da operação foram mobilizados 12 investigadores e três escrivães da Regional de Barra do Garças e de 16 policiais rodoviários federal com seis viaturas da PRF.

Na manhã de ontem, em Barra do Garças, o delegado Rodrigo Ricardo SantAnna divulgou o balanço final da operação. Segundo ele, as investigações para chegar aos veículos e aos envolvidos começaram há cerca de dois meses, quando foi descoberto um grande número de veículos circulando na região de Novo São Joaquim de forma irregular e com sinais de adulteração.

“Durante todo o dia foram abordados veículos suspeitos ou com placas de outras cidades. Aqueles que não apresentavam qualquer indício de irregularidades eram liberados e os suspeitos, apreendidos por nossos homens. Nossa missão foi fazer uma varredura na cidade”, disse afirmou o delegado.

Durante a operação foram cumpridos 10 mandados de busca e apreensão e um mandado de prisão. Além disso, os policiais “trancaram” as três entradas da cidade e realizaram diligências fazendas da região. A polícia contou também com a colaboração da população com denúncias e apontamento de veículos suspeitos.

Vários telefonemas foram recebidos pela Delegacia Municipal de Novo São Joaquim com informações que auxiliaram a operação. De posse das informações, foi mais fácil para a polícia encontrar os veículos irregulares.

O Documento

Três pessoas são indiciadas por suspeita de matar prefeito em MT


Foto Edson Rodrigues/secom
Três homens foram indiciados por suspeita de envolvimento no assassinato do então prefeito da cidade de Nova Canaã do Norte, Antônio Luiz Cesar de Castro, de 43 anos. O inquérito foi concluído pela polícia civil e encaminhado à Justiça. O crime aconteceu em agosto do ano passado.
De acordo com informações da assessoria da polícia civil, foram indiciados um homem de 43 anos preso em abril deste ano na cidade de Diadema, em São Paulo, e o irmão dele que está preso em Fortaleza (CE), por suspeita de envolvimento no assalto ao Banco Central daquela cidade. Também foi indiciado um homem que está preso atualmente na Cadeia Pública de Alta Floresta.

saiba mais
O delegado Rogério Malacarne afirma que as investigações estão concluídas e que a motivação do crime seria vingança após um desentendimento entre o prefeito e um dos suspeitos. Um dos desentendimentos ocorreu depois que o prefeito comprou um imóvel que foi reformado com o dinheiro do roubo ao Banco Central. Esse imóvel foi tomado pela Justiça, leiloado e arrematado pelo prefeito.
Ainda de acordo com o delegado, o suspeito que está detido em Fortaleza foi interrogado por meio de carta precatória e negou envolvimento no crime. No entanto, segundo Malacarne, o suspeito disse que temia que o irmão viesse a matar o prefeito de Nova Canaã do Norte.
O prefeito foi assassinado em agosto de 2011 ao levar sete tiros que foram supostamente disparados por um dos suspeitos, em uma festa na cidade de Nova Canaã do Norte, na região norte do estado. As investigações apontam que o suspeito fugiu após o crime em companhia de um comparsa que o aguardava em um automóvel.


Do G1 MT