segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Pedro Taques é diplomado e propõe "pacto por Mato Grosso"

O governador eleito Pedro Taques (PDT) foi diplomado pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE), em cerimônia realizada na noite de sexta-feira (19), no Centro de Eventos do Pantanal.
Em conversa com a imprensa, momentos antes da cerimônia, Taques aproveitou para cumprimentar todos os eleitos – entre senador, deputados federais e estaduais - e disse que irá “convidá-los” para que, juntos, eles firmem um pacto por Mato Grosso.

“Quero cumprimentar todos os eleitos e dizer que a partir de 1º de janeiro temos que ter um pacto por Mato Grosso. Um pacto para que possamos administrar bem o nosso Estado. Mato Grosso não termina no dia 31 de dezembro. Mato Grosso não começa no dia 1 de janeiro. Muitos contribuíram para que pudéssemos chegar até aqui. E me cabe, em razão da vontade do cidadão do nosso Estado, conduzir Mato Grosso a partir de 1° de janeiro. Para isso, precisarei do apoio de todos os parlamentares eleitos”, afirmou.
O governador também pregou o discurso de um governo transparente e voltou a negar qualquer tipo devassa no Estado.
“Durante a campanha adotei um discurso de transparência e nós traremos essa transparência para o Governo, mostrando para o cidadão o que está acontecendo em nosso Estado. Isso não é devassa, isso não é caixa-preta, é apenas o cumprimento do que determina a Lei”, afirmou ele.

Taques alegou ainda que a população do Estado terá um Governo comprometido com o cidadão e que irá atuar para que as políticas públicas sejam realizadas com qualidade.
“A sociedade pode esperar um servidor público comprometido com o respeito ao cidadão e que vai fazer, independente de qualquer divergência política ou partidária, que o cidadão possa ter uma saúde de dignidade, uma segurança de qualidade e uma educação que possa melhorar as pessoas, para que elas possam melhorar o mundo”, disse.

Discurso

Além disso, pediu a união dos deputados estaduais e federais e do senador Wellington Fagundes (PR).
“Fui eleito governador do estado com quase 58% dos votos válidos, mas a partir de 1º de janeiro eu serei o governador de todos os mato-grossenses. Este ato marca o fim do processo eleitoral e acredito que a disputa eleitoral é bem-vinda”, disse.

“Mas mais importante que qualquer sigla, mais importante que qualquer partido político, temos que firmar um pacto pelo partido político mais importante de nossas vidas, chamado Mato Grosso”, afirmou.

Cerimônia

O ato da noite de hoje marcou ainda, a diplomação do senador Wellington Fagundes (PR), dos 24 deputados estaduais eleitos, dos oito deputados federais, os dois suplentes ao Senado e os suplentes de deputados estaduais e federais (sendo dois por coligação).
Os suplentes que não foram diplomados no ato poderão retirar pessoalmente o documento a partir do dia 8 de janeiro.

O diploma é obrigatório e exigido no momento da posse dos eleitos, que para os cargos de governador e vice, acontece no dia 1 de janeiro, às 9h, em cerimônia na Assembleia Legislativa.

Já para o cargo de senador e de deputados federais, a posse será realizada em 1º de fevereiro, em Brasília.

Os deputados estaduais, por sua vez, irão tomar posse também no dia 1º de fevereiro, na Assembleia Legislativa.

Por: Mídia News

Nenhum comentário:

Postar um comentário