TAPIRAPE FM

terça-feira, 30 de julho de 2013

Apenas 18% das estradas estaduais de Mato Grosso são asfaltadas

Dos estados da região Centro-Oeste, Mato Grosso tem o menor percentual de estradas estaduais asfaltadas, conforme informações fornecidas pelos governos de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Goiás. Somente 18% dos 30 mil quilômetros de rodovias são pavimentadas, o que prejudica o escoamento da safra de grãos. No entanto, é também o estado que possui a maior malha viária estadual.
Mato Grosso do Sul, conta com 14,7 mil km de malha viária e 22% desse total é asfaltado, enquanto Goiás, 51% dos 20 mil km da malha viária são asfaltados.
No estado, o programa MT Integrado prevê a pavimentação dos 63 trechos mais movimentados, entre eles, a MT-170, a MT-040 e a MT-100, na região do Araguaia. “Nós já temos, por exemplo, a MT-100, que já tem a ordem de início de serviço, que foi emitida e as empresas estão em mobilização”, afirmou o superintendente de Obras da Secretaria Estadual de Transporte e Pavimentação Urbana (Setpu), Tércio Lacerda de Almeida.
Quarenta e quatro municípios de Mato Grosso, que hoje não têm ligação com nenhuma rodovia pavimentada fazem parte do projeto, cujo investimento previsto é de R$ 1,5 bilhão, por meio do Banco Nacional de Desenvolvimento Social (BNDES). 
Um dos pontos que mais sofre com a falta de infraestrutura nas estradas é o setor de escoamento da safra do estado, principalmente no período de chuva quando surgem os atoleiros. Entre as principais reclamações dos caminhoneiros está a frequente manutenção dos caminhões. “Demora mais tempo para concluir a viagem por causa da oficina, mecânica”, reclamou o diretor do Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas de Mato Grosso, Claudio Rigatti.

No início deste mês, o governo do estado ainda anunciou a realocação de R$ 17,8 milhões, previstos no orçamento da Secretaria de Estado de Transportes e Pavimentação Urbana (Setpu) para restauração de rodovias pavimentadas em várias regiões do estado, para obras da Copa de 2014, no estado. Os recursos que deveriam ser destinados às estradas foram transferidos para a Secretaria Extraordinária da Copa (Secopa), por meio da anulação de outras dotações orçamentárias, no caso, da Setpu.
Por: G1 MT

Nenhum comentário:

Postar um comentário