sábado, 17 de agosto de 2013

Após sequestro em MT, Polícia Civil investiga pessoas próximas à refém

Após o fim do sequestro de uma garota de 20 anos moradora de Porto Estrela, cidade a 198 km de Cuiabá, a Polícia Civil investiga se pessoas próximas à refém estariam de alguma forma ligadas aos autores do crime. A estudante foi levada de casa na noite de quarta-feira (14) e acabou reaparecendo na cidade de Tangará da Serra, a 242 km da capital, na tarde desta quinta-feira após menos de 24 horas em poder dos bandidos.
“Nós temos informações de que eles [os sequestradores] sabiam quem eram as pessoas da casa, sabiam do cotidiano até da policial [a mãe da vítima, que é escrivã em Tangará da Serra], de modo que estamos investigando a participação de pessoas próximas a ela”, explicou o delegado Neuder Martins, da Polícia Civil.
O grupo que sequestrou a garota invadiu a casa dela na noite de quarta-feira durante a comemoração de seu aniversário de 20 anos de idade. Seis pessoas entraram no local encapuzadas e armadas, anunciando que tinham de “acertar contas” com a mãe da vítima.
Todos os presentes foram amarrados com cordas e fios telefônicos. A estudante, por sua vez, foi levada pelos bandidos a bordo do próprio carro. Eles logo se dirigiram para o cativeiro escolhido – um motel em Tangará da Serra.
Ela não sofreu maus tratos e sequer chegou a passar 24 horas no local. Liberada, ela apareceu na tarde de quinta-feira numa delegacia de Tangará da Serra dirigindo seu carro – o qual havia sido levado pelos bandidos no ato do sequestro. Com base no relato da menina, a polícia conseguiu prender quatro pessoas envolvidas no crime.
Fazendo o caminho inverso com a vítima, o delegado se deparou com um taxista que levou dois dos bandidos até o motel e ele revelou o endereço onde eles residem. Os dois foram presos em seguida no local. Um deles é menor de idade. Eles teriam dito à polícia que temeram ser pegos pela polícia, pois até um helicóptero do Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer) sobrevoava a região na busca pela refém. A mãe da garota se negou a conceder entrevista.
Do G1 MT
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário