segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Mulher cai no 'golpe do envelope vazio'


Policiais militares prenderam o motociclista Adael Pontes da Silva de 27 anos, acusado de participar de um esquema criminoso, conhecido por “golpe do envelope vazio”.

Ele foi preso nesta quinta-feira, por volta das 18 horas, no centro de Várzea Grande quando tentava receber R$ 2 mil de uma mulher que havia vendido uma máquina de sorvete por R$ 9 mil. O comprador havia simulado um depósito em conta, mas tinha registrado em um envelope vazio

Dias após descobrir que tinha caído no golpe, começou a receber ligações em seu celular do falsário, que se identificava como “Francisco”. Ele exigia R$ 2 mil para a devolução da máquina. A vítima, então acionou a PM que pediu para mudar o local de pagamento para o centro de Várzea Grande. No local combinado, a vendedora da máquina de sorvete deparou com um mototaxista encarregado de pagar o dinheiro. Adael foi autuado pelo crime de extorsão. A máquina não foi localizada.

O golpista ainda mandou uma mensagem para o celular da vítima. “Você pensa que sou trouxa? Você não sabe que mandei o meu rapaz olhar tudo o que acontecia? Então mandei uma outra pessoa. Agora será do meu jeito. Você vai pagar, pode ter certeza”.

Segundo a proprietária do equipamento, ela anunciou a venda no site “bom negócio” e no dia 21, recebeu uma ligação de uma pessoa interessada na compra. Ele se apresentou como Francisco Machado Filho, morador em Nova Mutum.

O golpista pediu o número da agência e conta da vendedora para fazer o depósito. Dois dias depois, ela checou a conta e verificou que havia dois depósitos – um de R$ 5 mil e outro de R$ 4 mil, mas estavam bloqueados.

“Liguei para o comprador e ele me disse que a liberação iria ocorrer após a meia-noite. Nisso, estava me pressionando para fazer a entrega da máquina. Disse que havia uma pessoa em Cuiabá encarregada de buscar o equipamento”, relatou.

À noite, apareceu um homem batendo na porta da casa dela no bairro 24 de Dezembro e um carro, com as características da PM, acompanhando-o para buscar a máquina de sorvete. Ela pediu para que um vizinho ajudasse a carregar no caminhão. Em seguida, ouviu um homem falando no rádio da viatura. “Seu Francisco, teu problema está resolvido. Boa sorte”.

Os policiais que prenderam o mototaxista disseram desconhecer o fato de um policial falar no rádio de uma viatura com uma pessoa, pois a comunicação é só entre policiais. “Deve ser alguém que chegou junto com o golpista num carro parecido com a viatura”, observou um dos policiais.

No dia seguinte, ao descobrir que tinha caído no “golpe do envelope vazio”, a vítima ligou nos celulares do comprador, mas os dois estavam desligados. Na quinta-feira, ela recebeu ligação do suposto “Francisco” que exigia R$ 2 mil para fazer a devolução da máquina. A mulher então disse que estava interessada. Ela entrou em contato com a PM que passou as coordenadas de como deveria agir. Mudou o local do pagamento, mas não teve sorte, uma vez que não recuperou o produto.


Fonte: Radio Pogressso

Nenhum comentário:

Postar um comentário