Justiça Federal proíbe que BBom realize novos cadastros e bloqueia atividades da empresa


João Francisco de Paulo, dono da BBom
A juíza Luciana Laurenti Gheller, da 4ª Vara Federal de Goiânia, concedeu liminar nesta terça-feira (16) para suspender as atividades da empresa BBom, que agora está proibida de admitir novas cadastros. A magistrada determinou o bloqueio das contas da empresa BBom no dia 10 de julho por suspeita de pirâmide financeira.

A BBom se apresenta como empresa de marketing multinível, porém, uma força-tarefa feita pelo Ministério Público Federal em Goiás e outros congelou os bens das empresas Embrasystem (nomes fantasias BBom e Unepxmil) e BBrasil Organizações e Métodos e de seus sócios. Conforme a assessoria do MPF/GO informou, entre os bens bloqueados estão mais de 100 veículos, alguns de alto luxo – como Ferrari, Lamborghini e Mercedes, e mais de R$ 300 milhões em contas bancárias do grupo.

“O nosso objetivo é evitar novas vítimas. O consumidor precisa ficar atento, principalmente com a proliferação desses esquemas com a ajuda da internet e das redes socais, bem como dessas promessas de ganho de muito dinheiro sem ter que vender um produto ou serviço real”, explicou a procuradora da República Mariane Guimarães.

Além de a liminar congelar todas as atividades da BBom, a juíza Luciana Gheller ainda determinou que as empresas publiquem em seus sites o comunicado: “Por ordem da Justiça Federal, a BBom está impedida de receber a adesão de novos associados, seja através de seus sites, seja através dos sites de seus associados, bem como de receber as mensalidades cobradas dos associados já admitidos no sistema" .

Sistema de pirâmide

Segundo repassado pelo MPF/GO, o caso da BBom soma-se a outras investigações de pirâmides financeiras pelo país, resultado do trabalho da força-tarefa nacional dos Ministérios Públicos. O maior exemplo recente noticiado pelo Olhar Jurídico sobre casos de pirâmide financeira foi o da “TelexFree”. Investigações, inclusive, apontam que a BBom tem negócios com a Telexfree. As duas pirâmides teriam realizado transações com pessoas em comum, “o que fortalece os indícios da relação de continuidade entre as empresas”, destacam os procuradores.

Conforme divulgado pelo portal Ig Economia, o faturamento da BBom disparou de cerca de R$ 300 mil ao longo de 2012 para R$ 100 milhões em março de 2013. A empresa foi lançada em fevereiro de 2013 e, desde então, atraiu quase 300 mil associados com campanhas que exaltam os ganhos expressivos de seus melhores revendedores.

 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Divulgado gabarito da prova do Ensino Médio Integrado do IFMT

Discussão leva à tentativa de homicídio em Canabrava do Norte com um tiro na boca

Candidatos têm até dia 15 de agosto para se inscrever no concurso da Seduc